Não Anuncie Para Mim: A Publicidade E As Crianças

Jun 06, 11:42 PM
Você já pensou onde nasce o consumismo? Há grandes chances desse desejo de comprar coisas em demasia - muitas vezes produtos que a gente nem precisa - nascer na infância. E é por isso que a publicidade infantil é algo ainda muito forte no Brasil - embora seja proibida por lei. Segue o fio.

O Ih, Rita! desse semana quis entender porque a propaganda direcionada às crianças é algo tão ruim para os pequenos. Converso com o Instituto Alana, uma organização da sociedade civil que luta para que a propaganda seja direcionada aos pais, nunca aos filhos. 

A advogada Isabella Henriques explica como funciona a legislação brasileira e como algumas marcas estão driblando essa proibição enviando produtos para You Tubers fazerem propaganda disfarçada para sua audiência infantil.

Também bato um papo com a Debora Diniz, mãe de três crianças e cofundadora do MILC, o Movimento Infância Livre de Consumismo, que é muito forte nas redes sociais. "A grande sacada da publicidade é ensinar que o afeto está no ato de comprar algo. Mas o afeto não está nisso", explica.

Falo ainda com a psicóloga Ana Olmos, especialista em crianças e adolescentes, que define a publicidade infantil como uma "violência silenciosa". Ela explica como os pequenos ainda não têm maturidade para resistir aos apelos da propaganda e dá dica aos pais para lidar com as demandas das crianças que desejam tudo que aparece na tevê e na internet.

No Ih, Rita!, em todas as plataformas.